segunda-feira, 19 de julho de 2010

Caminhando e cantando e seguindo a ... (SEGUNDO DIA DA TRILHA INCA JUNGLE)

Chicos vestidos de pablitos

No caminho

Picuro

Comecando o caminho Inca

Plantacao de coca

Hoje começou a caminhada de verdade, em média oito horas andando, entre manha e tarde. A jornada começou na boleia de um caminhao que nos levou ate o inicio da trilha inca (como vcs podem conferir no vídeo do post anterior), andamos de pau de arara peruano. O grupo era bem grande, nos conhecemos já no primeiro dia, tinham dois casais, um chileno e outro canadense, um senhor com sua filha e um amigo, da Irlanda, três dinamarqueses e mais seis suiças que encontraram conosco hoje. Eram dois guias, Abelardo, quem nos guiou e Eber, quem guiou a outra parte da galera. Começamos a triha subindo, subindo e subindo ... logo no começo demos umas paradinhas pra ver a plantaçao de coca, muito comum por aqui, e de café, mas depois continuamos a caminhada na subida hiper íngime diretaooooooo. Demos uma parada pra descansar num ponto da trilha, onde vimos um bicho que parece uma cutia em miniatura, com dentes enoormes e habitos ja quase humanos, o Picuro, um mico que mordeu a Bá, quase arrancou seu dedo e nos divertimos com as fantasias da cultura local que os chicos vestiram de Pablitos. Depois continuamos até a hora do almoço. Durante o caminho que fizemos pela manha tivemos um visual deslumbrante, ouvimos histórias e explicaçoes do Abelardo, paramos para tirar fotos e contemplar aquele lugar, aquele caminho imensamente belo. Tiveram partes que fomos na maior animaçao cantando nosso hino "1,2,3,4, Machu Picchu é um barato; 4,3,2,1 e nao é pra qualquer um ..." e ensinando músicas brasileiras pro nosso guia, que gosta muito da banda Dejavú e do Raul Seixas. Na parte da tarde continuamos sem a Bá, porque ela passou mal com dores de coluna e cólica, daí pegou um carro até Santa Teresa. O caminho ja nao era tao bonito, pegamos uma grande parte de estrada de terra, mas valeu a pena chegar no fim do dia com a sensaçao de missao cumprida, depois de tanta caminhada. A hospedagem era bem simples, banheiro coletivo. Fomos jantar num restaurante, todo o grupo, e rolou uma pequena festa brasileira. Ju e Bá colocaram um axe no som e chamaram a gringaiada pra bailar , foi a maior farra, a galera tirou altas fotos e aprenderam (pelo menos tentaram) as coreografias com as nossas animadiissimas professoras brasileiras. A dona do restaurante fez questao de nos homenagear colocando Dejavú e Calypso pra tocar, aceitamos com sorrisos amarelos pra nao desfazer da nossa anfitria ... Depois de comer, dançar e sorrir muito, fomos dormir, cada um com suas dores e recordaçoes do caminho.

Rio Urumbamba quis Polly (PRIMEIRO DIA TRILHA INCA JUNGLE)




No dia 15/07 a galera acordou beeem cedo, tomamos café e ficamos esperando virem nos pegar para começarmos nossa aventura rumo à Machu Picchu. Eles chegaram atrasados e ainda tivemos que esperar um bom tempo até se organizarem com as bikes e etc ... Mas depois do pequeno "aburrido" saímos de Cusco rumo ao nosso segundo down hill da viagem e primeiro dia da Trilha Inca Jungle. Depois de ter feito a Death Road de Coroico, nada ja nos surpreende tanto, apesar das belíssimas paisagens e do desafio de descer no asfalto, fazendo junto com carros, vans e caminhoes curvas fechadíiiiiiiissimas em alta velocidade. Aós a parte do asfalto chegamos na parte de terra, pesadíssima, muita obra e transito, mas chegamos ao fim da trilha. Paramos, comemos uns sandubas e snacks e continuamos de carro ate o povoado de Santa Maria, onde passamos nossa primeira noche. Ainda nao satisfeitos com a aventura de bike do dia, topamos fazer um rafting no rio Urubamba, segundo o nosso guia, um rafting de nivel 3. Barbara nao foi, ficou descansando da trilha e tambem nao pilhou porque nao sabe nadar. Bruno, Ju, Leandro e Polly foram empolgadissimos pra mais uma aventura. Chegamos no rio, o guia explicou os comandos básicos, explicou como proceder caso alguém caísse na água e enfatizou a importancia do trabalho em equipe, independente da força fisica de cada um, daí entao entramos no bote. Tudo corria bem, na primeira corredeira sucesso, muitas brincadeiras e risadas e nosso guia nos chamou a atençao porque precisavamos de mais concentraçao para a proxima corredeira, e logo ela chegou. Era um grande hueco (buraco) e quando chegou ele gritou 'Pisooo, pisooo' (comando para nos abaixarmos no bote) e todos se abaixaram, inclusive Polly, porém a força do impacto e talvez sua falta firmeza cuspiram-na pra fora do bote, em plena correnteza brava, foi simplesmente desesperador, pra ela e pra quem ficou no bote vendo-a rolar rio abaixo. Polly conta que nao sentiu mais nada alem da força da agua arrastando-a, nao conseguia fazer absolutamente nada, saiu rolando, engolindo agua enquanto tentava respirar e pensava que fosse morrer ali mesmo. Tentou se lembrar do que o guia orientou, sempre ficar com os pes pra cima pra nao bater em nenhuma pedra, mas a força da agua era tanta que era dificil se posicionar naquela situaçao, ela so pensava em tentar segurar em alguma coisa e desejava intensamente qua alguema a tirasse daquele lugar. Enquanto isso no bote Bruno, Leandro e Ju contam que o desespero e o susto foram grandes tambem e que por um minuto todos ficaram estaticos, sem açao vendo a companheira sendo engolida pelo rio, enquanto o guia gritava 'adelaaante, adelaaante' para que o grupo remasse e fosse resgatar a chica. Leandro disse que depois do choque acordou e começou a remar em disparado e dizia 'rema Ju, rema', pois ela estava tao preocupada que nao conseguia nem remar. Polly, quando passou da turbulencia mais forte e chegou nas aguas mais tranquilas, conseguiu colocar a cabeça pra fora da agua e lembra de ter visto o bote de longe, e de ver a expressao da Ju de la dizendo 'nos vamos te pegar, nos vamos te pegar'. Leandro e Bruno contam que viram seus olhinhos desesperados na agua, e so pensavam em remar para resgata-la logo. Depois de alguns LONGOS MINUTOS, o bote conseguiu chegar mais perto e um dos que estavam no grupo jogo o remo no rio e Polly agarrou, entao puxaram-na para a beira e ela finalmente escapou, cuspiu agua, chorou um pouco, realmente pensou que fosse morrer ... todos no bote ficaram aliviados e o passeio continuou, agora todos mais concentrados e Polly la atras junto com o guia, completamente cafe com leite. Toda vez que vinha uma corredeira forte ele a cutucava ela ja pulava pra dentro do bote. Depois desse abraço violento que Urubamba quis dar em Polly (e deu), foi pura diversao, Bruno, Ju e Leandro estao suuper empolgados pra fazer mais qnd chegar no Brasil, em Piri, ou onde for mais massa. A turma atravessou o rio, surfou com o bote, merguhou (na hora certa, rs), foi massa! Chegamos, contamos tudo pra Ba, que estava parecendo nossas maes, nos esperando, preocupada conosco (gracinha!), tomamos banho, jantamos e fomos dormir. Assim foi nosso primeiro dia de trilha rumo a MP !!!

video

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Dia mais que tranquilo...

Breafing da inca jungle trail (a esquerda Abelardo e ao centro Ricardo)

Hola! Hoje (14/07) los chicos, apesar da balada, conseguiram acordar cedo. Já las chicas, dormiram a manha toda, pois precisavam recuperar-se da balada do dia anterior. Optamos por ter um super dia light. Mais uma vez, almoçamos no Fusiones (hummmm q q é aquilo?? delìcia). Em seguida, fomos cambiar dinheiro, comprar lanches, demos uma passadinha na agencia do Ricardo para pegar instruçoes com o nosso guia (Abelardo), compramos passagens para La Paz... enfim, naaada de mais. Parecia um daqueles dias que vc tira pra resolver um bando de coisinhas pessoais que estao pendentes. Por que fizemos isso? PORQUE AMANHA INICIAREMOS A TRILHA INCA!!! UHUUUU! É isso mesmo! Amanha é o grande dia! Por esse motivo, nosso blog ficará sem as devidas atualizaçoes. Mas nao fiquem tristes. Dentro de 4 dias voltaremos cheeeio de histórias pra contar.

Vamos a la chomba tomar la chicha!

Primeiro passeio em Cusco

Tomando la chicha



Serpente, condor, puma e Tiwanaku?



Serpente, puma e condor (trilogia Inca)


Dentro do Qoricancha



Vista de Qoricancha




.... Entao, sobrevivemos a mais uma daquelas viagens de onibus! Bruno quase morreu do lado de uma "cheirosa chola" que veio ao seu lado!Mas a recompensa nao ficou por baixo, camas quentinhas e banheiro privativo com agua quente e internet gratis! o que mais um ser humano pode querer nesta vida? chegamos por volta das 5 da manha no hotel Los Portales em Cusco, uma cidade super "hermoza", que pudemos conhecer depois de algumas horinhas de sono merecido!Saimos todos juntos para conhecer a empresa com a qual vamos fazer a trilha de Machu Picchu e fechar os ultimos detalhes. A empresa e a Peruinfo cusco "sua agencia brasileira em Cuzco" (http://www.peruinfocusco.com/), por sinal muito bacana! estamos sendo muito bem atendidos por aca. De la fomos almocar no restaurante "Fusiones" comemos entrada, prato principal, sobremesa e bebida a 250 soles (156 reais) para todo grupo! apos almoco fomos andar pela linda cidade de Cusco, Barbara decidiu ir para o hotel descansar e Bruno, Juliana, Polly e Leandro foram conhecer o Qoricancha (templo de ouro) que era um templo Inca construido em homenagem a seus deuses (arco-iris, sol, raio, trovao e relampago). Quando os espanhois conquistaram a regiao tentaram destruir o templo buscando apagar tudo que lembrava a cultura Inca, mas como nao conseguiram, construiram uma igreja catolica em cima dele.Mas a vida e uma caixinha de surpresas e em 1962 (acho que e esse o ano) houve um terremoto que destruiu toda construcao espanhola, restando apenas o templo Inca! Hoje o Qoricancha tambem conhecido como Mosteiro de Sao Pedro e um local onde se misturam a cultura Inca e Espanhola. Durante a visita nosso guia falou sobre a bebida dos incas feita de um milho da regiao, o nome da bebida e chicha e ele sugeriu que experimentassemos, na saida encontramos o guia por acaso e ele nos levou a la Chomba! local onde e vendida a bebida dos Incas!!!! A chomba parecia e uma taverna e nos eramos os unicos turistas la, pedimos apenas dois copos para experimentar la chicha e para nossa supresa vieram dois copinhos de mais ou menos 600ml cada! O cheiro de milho tomava conta do lugar, mas a bebida fermentada nao tinha um cheiro nada agradavel, experimentamos e as opinioes foram divergentes... Ju tomava fazendo careta, Polly tambem nao gostou muito, mas tentou tomar varias vezes, Leandro tomou bastante, mas nao achou la essas coisas e Bruno achou uma delicia! depois dessa experiencia fomos para o hotel nos arrumar para curtir a night cusqueña e nao nos decepcionamos! As chicas foram mais cedo para a aula gratis de salsa oferecida no bar mitology e los chicos foram mais tarde para o bar e discoteca mama africa. Curtimos bastante passando de festa em festa (aqui nao se paga para entrar!) acompanhados de brasileiros de todas as regioes e gringos dos tipos mais exoticos! Voltamos para "casa" a pe, cada um a seu momento, sem problemas!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Partida da Isla del Sol...Rumo à Cusco/Peru!


Amanhecer na Isla del Sol, vista para o lago Titicaca
Na trilha... "Você é a ovelha negra da família..."

Na Ilha do Sol, o dia comeca cedo, bem cedo, para os admiradores do nascer do Rei Sol !
Acordar cedo nesses dias de cansaco fisico é cruel, mas a recompensa vale a pena ! Foi o que o grupo fez ! Nesse dia, admiramos o raiar "del dia", do proprio hotel, que ficava nas encostas das montanhas à beira do glorioso Lago Titicaca ! Nos energizamos com forte "desayuno" e a base de musicas brasileiras (cantadas e coreografadas por nós mesmos!!). A despedida do hotel foi rapida, no entanto, a maravilhosa vista deixou saudades ! Após negociacoes com o "dono do barco" para que ajustasse o horario de volta à Copacabana (naum è a princesinha do mar, e sim do lago! rsrs), seguimos pelas trilhas nas encostadas das montanhas da Ilha do Sol. Por esse caminho, garantimos a juventude eterna, jà que fomos banhados com as águas da lendaria Fonte da Juventude! Seguindo, tivemos a oportunidade de aprerciar a rotina de um "chola" pastoreando seu rebanho de ovelhas ! Realmente havia apenas uma ovelha negra, ao meio de tantas outras !!! Os filhotinhos tambem acompanhavam o rebanho sagazmente !!! rsrsrs Antes de chegar às margens do Titicaca para tomar o barco, realizamos visita guiada pela Glòria Maldonado às ruínas de um Castelo Inca criado para que houvesse oferendas à Pachamama (Mae Terra) e para que esses ancestrais descansacem da àrdua rotina da ilha do sol. O retorno de barco à Copacabana foi belo (que novidade!), alèm de enriquecedor, já que tivemos aulas de historia, geografia, astronomia e do comportamento do lago!!! (as águas estavam brilhantes, o que representava que o lago ficaria agitado ao tardar do dia: haviam turbilhoes no fundo do lago inobservaveis aos olhos). Chegando à "copaca", cidade cosmopolita, reencontrams os brasileños conhecidos no Salar de Uyuni. Ficamos com a tarde livre, tempo em que realizamos compras de artesanatos e o turístico "city tour". Fim de tarde, visitamos a igreja de Nossa Senhora de Copacabana, tida pelos bolivianos como a mais rica em ouro ! As tradicoes religiosas sao incontaveis naquele lugar ! Depois do corre-corre que foi após a noticia da femea picchu Raquel, adentramos no ònibus rumo ao Peru! A conducao estava recheada de mexicanos, argentinos, americanos, belgas, franceses, irlandeses, conterrâneos brasileiros, dentre outros. Na fronteira, os "fuckin" belgas com tatugens no rosto, foram detidos, por naum portarem a devida identificacao e a Bárbara teve que pagar propina por ter perdido o ticket de imigracao! Para cambiar dinheiro tivemos que tomar certos cuidados, já que há circulacao de muito dinheiro falso na regiao. A viagem de onibus, pra variar, foi muito fria. Conversamos com brasileiros, fizemos parada em Puno e desembarcamos com sucesso em Cusco !!

Lembranças que o tempo nao pode mudar...




Partida de Copacabana para La paz....

Tchau Tchau Inca! Que os Deuses me acompanhem!

Pessoal, aqui me despeço dos meus companheiros de viagem, do blog e dos leitores! Meus queridos companheiros que em uma semana se tornaram amigos de jornada. Meu sincero obrigada, cheio de energia positiva, calor e força p que vcs sigam em frente. Acho que não sou adepta das coisas mais fáceis, apesar de ser bem mais cômodo claro, mas o sabor de não ter medo da vida é delicioso. Fazer parte dela, com liberdade, responsabilidade, audácia e coragem. Aceitando o caminho, se lançar a aventura que é viver. Sou muito grata à vida pelas oportunidades e pelas experiências maravilhosas que vivi nessa semana. Por tudo que aprendi. Inclusive sobre mim mesma. Olho para trás com muito orgulho, porque reconheço uma bonita trajetória que realizamos, Bá, valew por estar sempre a frente encabeçando e mostrando o prazer de se encantar com as coisas; Jú, obrigada pelo seu bom-humor, sua parceria de sempre e o cuidado de uma irma; Polly, obrigada pelo companheirismo, suavidade e inocência; Leandro e Bruno, apesar de conhece-los a pouco tempo, valew pela amizade, respeito e pelas várias risadaaas! Queria estar com vcs, mas como não poderei, espero que sigam sorrindo e cheguem ao topo, superando os desafios, unidos e lembrando o que cada um busca!

Só para não perder o habito, vou contar minha jornada de volta para casa. Na noite que nos despedimos em Copacabana, jantei sopa e chá e fui dormir em um hostel (com água quente e TV!! por 30 Bolivianos), acordei um pouco atrasada e ansiosa, peguei o primeiro ônibus para La paz, corri tanto que até fiquei com calor com meus 4 casacos. Atravessei o estreito do lago Titicaca de barco e peguei o ônibus novamente (Estava tocando música local, muito bom!). Cheguei em La paz e peguei uma van (estava tocando N’sync, rs!) para a parte alta da cidade e de lá um taxi para o aeroporto. A Aerosur antecipou meu vôo p o dia seguinte (depois de um pequeno drama que fiz), enfrentei uma longaaaaaa (...) noite no aeroporto, guardei minha mochila num armário e fiquei zanzando e tentando relaxar.... Agora vou embarcar e voltar para casa... espero de coração voltar para essa “ Terra do Nunca” que vários Peter Pans nela habitam (RS, piadinha interna do grupo), maravilhoso conhecer hábitos diferentes, choque de cultura, política, natureza, história ... de outros lugares. Beijos... sentirei saudades.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Felicitaciones para a chica Raquel!!

Nossa companheira Raquel infelizmente teve que abandonar a trip e voltar para o Brasil. Nossa calanguinha foi convocada para a segunda fase do concurso da Secretaria de Justiça e precisou voltar. Galega, quero que vc saiba que estamos muito orgulhosos de vc, querida. Outras oportunidades de viagens aventureiras virao. No dia da sua prova estaremos chegando em Machu Picchu e, certamante, torcendo por vc. Continue fortalecendo seu caráter!!! Beijosss

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Quando eu digo Titi, voces falam Caca!

Despededida de La paz, em frente a casa de Miguel, com Oscar (mais a direita) e Miguel (mais a esquerda)
Na Cordilheira dos Andes com Glória
Placa em Tiwanaku
Portal del Sol
Pose na maquete de Tiwanaku

Dia 11/07 acordamos cedo, nos despedimos de Miguel (nosso anfitriao em La paz) e conhecemos Glória, uma guia turistica que ia nos acompanhar nos próximos 2 dias. Fechamos um pacote para o seguinte intinerário: o sítio arqueológico mais importante do país Tiwanaku, Isla del Sol e Copapabana. Na ída paramos em um mercado bem popular para tomarmos algo "caliente" café, leite, mate de coca... Na estrada rumo a Tiwanaku observamos uma parte oriental da Cordilheira dos andes, que por sinal tem esse nome por causa das pedras "andesitas" encontradas na regiao, as montanhas possuem neve constantemente em seus topos. Chegamos a Tiwanaku e tivemos uma verdadeira aula de história, ao entrar no museu pudemos ver que a civilizacao Tiwanaku surgiu a milhoes de anos, antes dos incas, que lá chegaram quando já nao havia populaçao. Tudo o que vamos falar sobre twanaku sao teorias, nada pode ser afirmado com 100% de certeza. Tiwanaku era um local onde varias etnias se encontravam para realizar seus cultos religiosos, era considerada a meca andina. A partir de escavacoes foram encontrados cranios perfurados (e cicatrizados) e diversos instrumentos cirurgicos podendo inferir que era uma civilizacao que tinha conhecimento sobre trepanacao (cirurgia no cranio), haviam diferentes tipos de cranio e para essas variacaoes existem 3 teorias: 1 que os cranios eram deformados como uma forma de representar beleza, 2 que cada cranio tinha uma forma para diferenciar castas e 3 a modificacao craniana dava inteligencia ou forca. A civilizacao tambem se destacou pelo artesanato, pois sabia colocar neles as cores da natureza (que observamos durante a viagem) de maneira viva e duradoura. Vimos tambem uma grande "Estella" (o nome correto de totem) chamado de Benneth que representava um calendario, com 365 dias, 12 meses e solsticio e equinocio. Apos a visita ao Benneth aprendemos sobre a cruz andina que representa os quatro pontos cardeais, os tres animais mais importantes para o povo (Condor (sabedoria), puma (mundo terreno) e serpente (maus espiritos) ao centro estava o povo Tiwanaku que se consideravam "El centro del mundo" . Vimos um lugar que antigamente era um espelho d'agua utilizado para observar as estrelas (era mais facil fazer a observacao olhando para baixo que para cima) ao centro havia uma "Estella" provavelmente uma mulher, pois estava com uma das maos no ventre, e ao redor varias cabecas que representavam as varias etnias que visitavam aquele local. Finalmente chegamos ao portal do sol, local sagrado onde eram realizados os cultos religiosos, no portal pode-se ver a representacao da evolucao humana, mais duas "Estellas", um magafone de pedra em formato de timpano e um altar (construido recentemente) onde se fazem oferendas a mae terra. Curiosidade: foi nesse altar que Evo tomou posse como primeiro presidente indigena.
Depois dessa aula almoçamos carne de Lhama (macia e saborosa hmmmmmmm) e partimos rumo a Isla del Sol escutando a final da Copa do Mundo, a paisagem no caminho sempre muito bela, e de longe apontou o famoso lago TITICACA (os Bolívianos adoram fazer um trocadilho com o nome do lago, pois uma parte do mesmo também pertence ao Peru, eles dizem que o lado leste TITI é da Bolívia e o lado oeste CACA é do Peru), o lago tem 165 km de extensao. Paramos em um pequeno porto " Sao Pedro Tiquina" e pegamos um barco para passarmos em um estreito do lago, ao chegarmos do outro lado viajamos mais uma hora de van, observando paisagens de uma beleza singular, até pegarmos outro barco e partir para a "Isla del Sol" que já foi parte estratégica também do império Inca, chegamos a Yumani, que é a entrada principal da ilha, em uma escuridao total e pagamos todas nossas penitencias subindo mais de 200 degraus com mochilas pesadas até encontrar nossa pousada, finalmente jantamos (Sopa de Quinoa e Truta) e nos acomodamos em nossos quartos no topo da ilha, se enfiando debaixo de váriassss cobertas e esperando que o frio amenizasse... ao amanhecer do dia 12/07 descemos alguns degraus para conhecer a Fonte da Juventude, a fonte tem tres jorros, cada um deles se refere a uma das tres máximas Incas: Nao seja preguiçoso, nao seja mentiroso e nao seja ladrao. Em seguida caminhamos por uma trilha até encontrar ruínas Incas, um castelo, de onde também se pode ver outra ilha " Isla de la luna", na qual ficavam as mulheres, para a Isla del Sol somente iam as escolhidas, as mais belas (nao só fisicamente, mas interiormente). Depois, pegamos o barco de volta a Copacabana, para almoçarmos, conhecermos a Igreja local e embarcarmos para Cuzco (12 horas de viagem...). Esse dia foi repleto de paisagens magnificas e visuais inesqueciveis, uma experiencia cultural para a vida toda, agradecemos aqui o apoio e atençao de Oscar e sua equipe que fazem parte da empresa "LATE BOLIVIA, el corazón de Sudamérica" (http://www.latebolivia.com/). Observacao: ficaremos devendo as fotos, pois nao tivemos como baixa-las.

Iron chicas y Iron chicos

Animacao antes de iniciar a trilha

No final da Trinha da Morte, mais vivos do que nunca!


Vista da Trilha
Mascando folha de coca

As bikes

Noite no La Comedie


Na sexta-feira (9/7), depois de passar por tantos ¨perrengues¨ resolvemos nos dar ao luxo de jantar em um bom restaurante. Fomos no LA COMEDIE RESTAURANT, um dos melhores restaurantes de La Paz. Desfrutamos de uma fantàstica comida francesa e voltamos pra casa satisfeitos. Los chicos foram pra farra, mas voltaram cedo. Tentaram furtar a carteira do Bruno, mas foi só um susto. No sábado (10/7) levantamos cedo para fazer um passeio de bicicleta em Coroico, perto de La Paz. Estávamos a 4.762 metros de altitude. Jorge e Adan foram nossos guias. Avistamos várias plantaçoes de coca e passamos pelo lago Incachaca. O passeio foi simplismente incrível !!! O nome da estrada é ¨El camino de la muerte¨. Por que tem esse nome? ... È exatamente isso que vc deve estar pensando. Segundo Adan, nesta estrada morriam em mèdia 350 bolivianos por ano. Depois que fecharam a estrada e iniciaram os passeios ciclísticos (cerca de 8 anos atrás) a estatística mudou. Apenas 15 turistas morreram, 2 no corrente ano. Por todas as curvas avistamos cruzes com os nomes dos falecidos. Agora deixaremos o terrorismo de lado e vamos ratificar que, ao contrário que o nome da estrada sugere, chegamos ao fim do passeio nos sentindo cansados, porém, mais VIVOS do que nunca! A cada curva a adrenalina testava os nossos cinco sentidos. Sao 100 km de Down Hill mesclando asfalto e terra no meio de uma mata tropical exuberante recheada de quedas d'agua, neblina e penhascos. A Raquel lembrava o tempo todo dos seus amigos e amigas que pedalam. A Polly, em seu momento filosófico, disse: - Nós podemos tudo, e muito mais!!! uiiiiii!! Tivemos que mascar folha de coca por todo o trajeto para dar conta do recado. Ao final fomos recepcionadas por latinhas de La Paceña (cerveja local) gelada! Foi a primeira vez que vimos cerveja gelada por aqui. Dá pra imaginar porque, né? A Polly cometou que havia trago seu biquini e Jorge (um dos guias) fez um comentàrio muito engraçado : - ¨Uhummm... biquini brasieeeño!!¨ As gargalhadas foram inevitáveis. A empresa que nós contratamos foi a Full Binking (muiito boa! Com bicicletas novinhas e com todo o equipamente de segurança adequado. Nós a recomendamos!!) Depois fomos para um hotel tomar uma banho quente e almoçar. A Bárbara, depois de sobreviver intacta à trilha mais perigosa do mundo levou um tombaço no hotel digno de uma videocassetada. Leandro Smeagol perdeu seu anel e nao queria abandonar o hotel enquanto nao achasse ¨his precious¨. Nosso grupo de 6 pessoas resolveu resumir um 6 palavras a experiência do dia: Adrenalina, superaçao, aventura, vida, emoçao, no-limite!! A noite pedimos uma pizza gigante e uma coca-cola que nos custou 76 bs (equivale a 19 reais). Gostaríamos de dizer que estamos muito felizes por ver nossa família e amigos postando comentários. Sempre ficamos ansiosos para saber das suas impressoes acerca de nossa viagem. Aguardem o nosso próximo post!!


sexta-feira, 9 de julho de 2010

Aguas Calientes, Deserto de Dali, Laguna Verde e volta para La Paz. (Terceiro dia)

Laguna Verde

Uma das outras Lagunas

Aguas Calientes

Geisers

Lhama, como se llama?

Depois de momentos maravilhosos vividos, vendo paisagens belissimas, que nos provocaram sensacoes unicas, chegamos ao terceiro e ultimo dia. Como diria a Ju, vou jogar a real agora galera, a madrugada foi puuuuuunk, nem acreditamos que sobrevivemos. Depois da festenha brasileira fomos dormir, no meio do deserto, numa temperatura de 15 graus negativos. Estavamos no mesmo quarto e cada um com seu saco de dormir e com seus problemas fisicos pessoais sobreviveu a noite como pode, rs. Teve gente que passou mal a beça, provavelmente porque comeu demais (hihi), e teve que se aventurar no banheiro escuro e coletivo na madrugada friorenta e gastar as proprias meias pra limpar o estrago, e teve tambem quem teve tanta vontade de fazer xixi que simplesmente levantou da cama e fez ali mesmo, do ladinho da propria cama. O Leandro no dia seguinte nos relatou que ouviu o som, achou ate que estava sonhando com uma bela cachoeira, mas quando pegou no seu cahecol molhado, percebeu que estava bem acordado enquanto ouvia o chiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ... Bem, levantamos as 5 da manha com o chamado de Raul e seguimos viagem. A primeira parada foi ainda no escuro, com a lua no ceu, pra ver os "geiseres", uma visao muito louca, a fumaça, o sol nascendo, o ceu, nossa, incrivel! De la seguimos para as aguas calientes, que sao aquecidas pelos vulcoes da regiao. O frio era muito, mas tiveram os corajosos que enfrentaram a barra de tirar todos os casacos e as calças (único momento da viagem que Polly nao usou os moletons viu?) e dar um tchibum naquelas aguas aquecidas naturalmente, a 36 graus, uma deliciiiiiia, realmente, renovador, uma experiencia unica no meio daquele deserto GELADO (Leandro ficou indeciso, mas nao resitiu, ou resistiu bem ao frio, e decidiu entrar também). Depois do banho inesquecivel, seguimos viagem e passamos pelo deserto de Dali, onde as pedras no meio do nada lembram as obras do artista famoso. De la fomos na Laguna Verde, que nao estava tao verde porque estava congelado, estavamos numa divisa entre Argentina, Chile e Bolivia, tao looooonge e tao perto ao mesmo tempo ... E de la finalmente pegamos o caminho de volta a Uyuni, é uma viagem beem cansativa, sao umas oito horas de viagem e paramos so para almoçar. Ainda bem que essa galera do BBB6 Equipe brother nao se deixa abater facil, fomos dormindo, escutando musica, fazendo rimas, comendo batatinhas e relembrando os bons momentos da viagem. Chegamos em Uyuni num frio de lascar, fizemos umas comprinhas, comemos, alguns tomaram banho e as 20h pegamos nosso onibus para La Paz, para enfrentar mais 12h de viagem. Foi um pouco desesperador por conta do frio que foi muuuito, mas sobrevivemos e chegamos sao e salvos pela manha de hoje para recarregarmos as baterias das maquinas e as nossas para as cenas dos proximos capitulos.

Mais chao pela frente ! (Segundo dia )

Jump no Arbol de Piedra

Arbol de Piedra

Gelo no desierto

El Vulcano!

Depois de uma noite muito fria, tivemos um ótimo desayuno (uns recuperando a noite mal dormida, outros tentando se aquecer, outros se recuperando de ressaca e sonabulismo). Partimos rumo ao deserto de "Chiguana" (30 km distânte da fronteira do Chile), no caminho a Bárbara decidiu que a Aninha nao vai para a Disney quando fizer 15 anos, adivinha para onde ela vai (ou diriamos vem)....? A paisagem tem uma vegetaçao rasteira e muito peculiar: LINDA, os animais também sao encatadores, coelhos selvagens chamados de "Biscachas", muitas lhamas , rapozas e montanhas com gelo no topo...
Paramos perto de um vulcao ativo, com direito a fumacinha e pedras vulcanicas.
Depois de mais chao paramos para almoçar improvisadamente entre as montanhas na " Laguna Cañapa". Depois seguimos para a "Laguna Hediona" com alguns Flamingos.
Depois de mais chao paramos no Arbol de Piedra, um lugar com pedras em formato de ávore, a 5709 m de ALTITUDE, até a Bárbara que é pequenininha ficou alta! Segundo o Leandro estavamos na " troposfera" rs, a Jú assumiu sua escaladora interior e subiu em várias pedras.
Passamos pela "Laguna Colorada" ou também conhecida como Laguna "Chiar Kkota" com aguas escuras por causa dos minerais e microorganismos, geralmente vivem muitos Flamingos, mas por causa do frio " eles estavam de vacaciones (férias)" segundo Raul.
Finalmente fomos rumo ao nosso Hostel para passarmos a noite, no jantar tivemos sopa (de entrada) pao, macarrao e vinho... ficamos bemm forrados! Enquanto estavamos jantamos crianças nativas fizeram uma pequena apresentaçao de música para os presentes (pessoas de várias nacionalidades), após a apresentaçao das chiquitas, tomamos posse de sua zabumba e começamos uma pequena fieeesta Brasileña! Com vários brasileiros (convidados pela Bárbara) e algumas gringas (convidadas pelos meninos)! Depois da fiesta fomos dormir em mais uma noite GELADA.

O maior deserto de sal do munto (primeiro dia)

Almoçando com Raul!

Nossa 4x4, saindo de Uyuni

Cemitério de trens

Deserto de Salar (Raquel, Polly, Ju, Leandro e Bárbara)

Brincando com a proporçao

Luta de gigantes!

Dia 05/07 pegamos um ônibus de La Paz para Uyuni, passamos a madrugada na estrada, a viagem foi tranquila, tentamos dormir um pouco para descansar, mas as poltronas nao colaboraram muito, na chegada as 7h da manha pegamos 8 graus! Uyuni parece uma vila, e tem cerca de 15 mil habitantes.
Forramos nosso estômago com um excelente desayuno ( café da manha) e lá conhecemos outros brasileiros que estavam viajando também...
Após o desayuno conhecemos nosso guia, Raul, e partimos rumo ao nosso tour. A primeira parada foi no "Cemitério de trens" um lugar que existe desde 1890, com vários trens abandonados e enferrujados que antigamente eram usados para o transporte de cargas e minerais. Por incrível que pareça vimos gravado em um dos trens " Indrustria Brasileira". Em seguida partimos para "Colchana" um lugar conhecido pela sua dedicaçao no processo de preparaçao e empacotamento de sal; Juan Calizager, um senhor que trabalha como processador de sal nos explicou o processo : primeiro o sal tem que ser colocado no forno cerca de 20 minutos porque ele está muito úmido, quando esfriado é colocado em um pequeno moinho, misturando-se iodo, depois o sal é embolsado (empacotado), 3000 kg por dia! Cada 50kg custa 10 bolivianos (Dois reais e pouco...).
Partimos para o Salar, um local que antes era uma lagoa agora é um grande deserto branco, de sal, tendo 12000 km na altitude de 3660, neste lugar paramos para almoçar em uma mesa improvisada de pedras entre os cactos, chamado de "Isla Incahuasi" (ou conhecido também como Isla de pescado), Raul preparou uma reifeiçao contendo arroz, salada, carne e claro o "líquido negro do capitalismo" coca cola, segundo o Bruno, de sobremesa tivemos banana. Tiramos muitas fotos no salar e fizemos uma trilha nas pedras por entre os cactos, com uma vista panorâmica espetacular. Despois de algumas cervejas "saltas" pegamos novamente a estrada, 2h de chao infinito ao som de Paralamas do Sucesso! A saída do deserto de sal ficou marcada pela mudança de visual, agora a estrada ao invés de ser de sal é de terra, a poeira comendo solta, pedimos que Raul "nosso guia tirao" ultrapassasse um carro que fazia muita poeira e ele disse "Está incluído no pacote".
Chegamos ao hotel de sal, onde vamos passar a noite, um povoado com 500 habitantes, depois de tomarmos banho( somente as garotas) e os meninos jogarem bola com nativos tivemos um belo cenar (jantar) com sopa de entrada, depois frango e batatas assadas (quase nao demos conta!!). O céu estava estrelado de uma forma maravilhosamente brilhante, como nunca tinhamos tido a oportunidade de observar, estava muitooooo frio nem corridinha nem pulinhos esquentavam. Nos empacotamos para dormir (em camas de sal claro)!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Chegamos do deserto hoje!

Familia, vimos muitas coisas bonitas, mas n tenho as fotos agora... todos estamos bem! Vamos para LaPaz daqui a pouco e assim que pudermos mandamos mais noticias!!!
Aqui ta um frio de rachar!!!!!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Al Centro de La Paz!

Los companheiros Caminhando...

Casa de Evo Morales

Chola e sua filha

Hoje pela manha fomos ao centro de La Paz! a altitude começou a afetar a Ju e Bárbara,... (elas dizem querer sua mamaes p tomar remedinho.. ) a sensaçao é de canssaço e um leve mal estar... a pressao atmosferica é baixa, fazendo com que até o shampoo e outras coisas explodam, no caminho ao centro observamos a paisagens, picos com neve, rochas e montanhas... vimos também a casa de Evo Morales, que é o presidente atual e que aparentemente agrada muitos por aqui. O transito é um pouco caotico... engarrafado nas horas mais agitadas...
O povo sempre muito receptivo e com caracteristicas locais que encantam, as "Cholas" sao mulheres que carregam seus bebes em panos amarrados em suas costas, usam um chapeuzinho na cabeça que nao cai ( como issi acontece??? ).
Uma noticia nao muito agradavel é que NINGUEM tomou banho até agora... e sabe-se lá a intençao de tomar, na realidade o problema nao é nem o frio... mas sim a agua GELADA!
O espanhol é falado de forma clara e bonita, aos poucos estamos adaptando nosso portunhol! até... estamos apanhando um poquito... rs
Amanha embarcaremos para o Deserto de Uyuni, passaremos 3 dias em caminhada, conhecendo lagunas, vulcao, hoteis feito de sal, e muitas coisas!